4 dicas essenciais para retenção de talentos

Falar sobre políticas de retenção é tão importante quanto falar de um recrutamento e seleção bem feitos. Separamos neste artigo, 5 dicas essenciais para te ajudar na retenção de talentos de sua empresa. Mas, antes um pouco, vamos conceituar e entender pontos chaves deste assunto?

Por que pensar em políticas de retenção de talentos?

Manter aqueles profissionais com bom desempenho, potencial e talento é essencial para o sucesso de qualquer negócio, além da economia no custo que a substituição de um profissional acarreta. Em um mercado de trabalho em expansão como o atual, o alto índice de turnover pode ser gerado pela competição entre as empresas para atrair e reter os melhores profissionais, oferecendo bônus, flexibilidade, desenvolvimento de carreira e outros benefícios. Por isso, pensar em políticas que incentivem que estes profissionais não desejem sair de sua empresa é tão importante.

O que são profissionais considerados talentos?

Quando estamos falando dos profissionais que apresentam alta performance, denominados talentos, diferenciados, ou qualquer outra nomenclatura, estamos falando dos profissionais que apresentam alta produtividade e alta aderência ao perfil da empresa onde trabalham. Eles são muito procurados e raramente encontrados.

Vamos às dicas então, para você pensar, refletir, mudar hábitos e ser competitivo como uma boa empresa para se trabalhar!

Dica 1: Estruture um plano de carreira.

Para muitos profissionais, as oportunidades de desenvolver-se e crescer em uma empresa é mais importante até mesmo que a remuneração. Quando um colaborador tem previsibilidade dos caminhos que ele pode percorrer, ele se sente mais seguro e traça metas e propósitos dentro dessas possibilidades que a empresa oferece. O plano de carreira precisa ser claro, realista e coerente com o que de fato aquele empresa pode proporcionar aos colaboradores em termos de crescimento.

Dica 2: Ofereça remunerações compatíveis com o mercado.

Você não precisa pagar os salários mais altos para ter uma boa taxa de retenção de profissionais, mas precisa estar sim alinhado às boas práticas de remuneração que o mercado oferece, em especial no segmento da sua empresa. Quando falamos em remuneração estamos falando não só do salário fixo, mas também dos benefícios e demais complementos, a depender do cargo e da área.

Dica 3: Invista em avaliação de desempenho e feedbacks contínuos.

Não basta só saber os funcionários considerados como talentos que você tem em seu time. É necessário também que você reconheça, valorize e incentive positivamente seus resultados e entregas. Todo mundo gosta de ser reconhecido por um bom trabalho que realiza, isso é fato! Se a sua empresa ainda não adota uma ferramenta de avaliação de desempenho, é importante que você comece a pensar nesta prática. É através dela que conseguimos mensurar as possibilidades de progresso na carreira de um colaborador. Quando um profissional não tem esse tipo de retorno e feedback da empresa, ele pode se sentir desmotivado a permanecer ali.

Dica 4: Invista na formação e capacitação profissional dos seus talentos.

Também muito valorizado pelos profissionais, a oportunidade de aprender e se atualizar é um grande fator motivacional e de retenção de pessoas. Caso você não tenha formalmente a prática da elaboração de um PDI (Plano de Desenvolvimento Individual) na sua empresa, você pode utilizar os momentos de feedback para explorar com o seu time quais são seus anseios, desejos e aspirações em relação a sua carreira.

A retenção de talentos é um investimento que vale muito a pena. O bom funcionário que permanece na sua empresa é uma peça fundamental para alcançar as metas traçadas. Quando esse profissional está satisfeito e motivado, ele veste a camisa e tem prazer em desenvolver seu trabalho todos os dias. 

Gostou? Compartilhe!

Deixe sua opinião.

Você também pode gostar de ler:

Capa Evoluir News

Edição 005

Nesta edição: Como acertar na divulgação de vagas Pérolas do RHO candidato que não falava com mulheres O candidato finalista declinou, e agora? Deu na